Movimento Natura

MOVIMENTO natura

COOPERATIVA AGUAPÉ

Exemplo de empreendedorismo, cooperativa mineira gera trabalho, renda e conscientização ambiental

imagem

Que tal inspirar mais gente com esta história?

Em 2005, os catadores de lixo da cidade mineira de Manhumirim perderiam seu trabalho com a desativação do lixão, que daria lugar a uma usina de triagem e compostagem. Os trabalhadores e a comunidade agiram rápido e, assim, foi criada a Cooperativa Mista de Trabalho e Produção de Coleta Seletiva, Reaproveitamento e Reciclagem do Lixo Aguapé, com o objetivo de promover a inclusão desses catadores.

Quase uma década depois, a cooperativa coleciona parcerias e celebra prêmios – como o Prêmio Cidade Pró-Catador, recebido das mãos da presidente Dilma Rousseff, em dezembro de 2014. Com 32 cooperados – 14 deles ex-trabalhadores de lixões da região –, a Aguapé tem dois contratos com a prefeitura de Manhumirim, sendo responsável pela coleta seletiva e pela operação da Usina de Triagem e Compostagem. Os números impressionam: são até 40 toneladas de material reciclável por mês no município de 21 mil habitantes.
 
Foram firmados, ainda, convênios com as cidades vizinhas de Manhuaçu e Martins Soares. Na primeira, a Aguapé faz parte de um programa da companhia concessionária de energia elétrica que prevê a troca de lixo reciclável por descontos na conta de luz. Na última, foi fechado um acordo com a prefeitura para a implantação e coordenação de um programa de treinamento e de coleta seletiva; a coleta é feita pela prefeitura, que entrega os resíduos à cooperativa. Em 2014, a Aguapé também venceu uma concorrência para receber os resíduos das agências dos Correios de cerca de 30 municípios da região.
 
Em novembro de 2014, a cooperativa recebeu o empreendedor em rede Augusto Gutierrez para um encontro promovido pelo Movimento Natura, quando foram mapeados desafios e soluções da iniciativa. “O Augusto fez uma roda de conversa mostrando o que temos de melhor e deve ser mantido, e o que temos de pior e deve ser superado”, conta a bióloga e professora Flavia Dias Hercolano, que ajudou, como voluntária, na formação da Aguapé e hoje atua como técnica em educação ambiental contratada. Augusto diz que observou, em sua visita, a necessidade de reconhecimento e do estreitamento dos relacionamentos entre os cooperados. “Notamos que era preciso abrir um espaço de escuta”, diz ele. Flavia concorda: “As relações são o maior desafio de quem trabalha em grupo”.
 
A importância de um bom relacionamento deverá ser útil quando começarem os trabalhos de uma rede de associações de catadores estabelecida pelo governo federal. A Aguapé é a única cooperativa entre as organizações de 12 municípios da Zona da Mata mineira. O intuito da união é fortelecer a venda conjunta e acabar com o papel do atravessador, comercializando os materiais recicláveis diretamente com a indústria.
 
O desafio da cooperativa, agora, é receber a certificação SA 8000, relativa à responsabilidade social. Para tanto, precisa de um galpão em boas condições. Funcionando atualmente em um espaço alugado, a Aguapé pretende comprar um terreno para construir um galpão adequado. Flavia já encontrou o terreno, de 2.000 m2. Como o valor de 120 mil reais recebido do Prêmio Cidade Pró-Catador pode ser investido na construção do galpão, mas não na compra do terreno, ela tenta, agora, mobilizar sua rede de relacionamentos para vencer mais esse desafio.
 
 
Do que precisavam
  • Assessoria jurídica para orientar os procedimentos legais para a formação de uma rede de catadores.
  • Auxílio de um profissional de recursos humanos para motivar o grupo de catadores e aprimorar sua postura profissional.
  • Doação de um terreno de 1.000 m2 em Manhumirim para a instalação do novo galpão da cooperativa.
 
O que conseguiram
  • Reconhecimento do Programa Acolher do Movimento Natura, com apoio técnico e financeiro.
  • A Cooperativa Aguapé recebeu da presidente Dilma Rousseff o Prêmio Cidade Pró-Catador.
  • Firmou convênio com a prefeitura do município vizinho de Martins Soares para implantação de um programa de treinamento e coleta seletiva.
  • Firmou parceria com a companhia de energia elétrica Energisa, em Manhuaçu, onde participa de um programa de descontos em troca de lixo reciclável.
  • Venceu uma concorrência para receber os resíduos dos Correios de cerca de 30 municípios da região.
  • Participou da formação de uma rede de associações de catadores de 12 municípios da Zona da Mata Mineira.