Movimento Natura

MOVIMENTO natura

KALIVONO
Educação
Miranda - MS
O projeto tem como objetivo preservar a língua indígena Terena e incluí-la no currículo escolar.
Iniciativa: Formação de professores, advocacia e publicação de material didático bilíngue - RS.
Cintia Nardo Marques Gonzale
Conheça essa iniciativa

Iniciativa

O projeto Kalivôno pretende estimular práticas curriculares específicas à realidade das comunidades indígenas e garantir o uso de material didático que valoriza e incentiva a língua e os conhecimentos tradicionais da região de Miranda, no Mato Grosso do Sul. Para isso, a iniciativa realiza a formação continuada de professores e já publicou um livro didático bilíngue (Terena-português), voltado ao ensino da Língua Terena e da Arte e Cultura Terena nas salas de aula.
 
Desafio: Conseguir doações para a impressão de um novo livro didático
 
COMO VOCÊ PODE COLABORAR
  • Divulgue: Faça essa história chegar mais longe! Compartilhe a iniciativa para seus familiares, amigos e nas redes sociais.
     
  • Ofereça o que você faz bem: Seja um voluntário digital e ofereça seu talento com apoio nas áreas em que você pode atuar de qualquer lugar do país, seja em comunicação, finanças, etc.
     
  • Participe: Sua presença nos eventos e mutirões fará a diferença!
     
  • Compartilhe suas ideias: Converse pelo fórum ou envie uma mensagem para a responsável pelo Projeto Kalivôno
 
 

O que Fazemos

  • Oferecemos formação continuada para professores, onde discutimos o ensino da língua e cultura Terena
  • Publicamos um livro didático bilíngue para o primeiro ano do Ensino Fundamental
  • Influenciamos políticas públicas e fazemos advocacy para causas como a criação de referenciais curriculares municipais para educação indígena, que determinariam os conteúdos a serem abordados em cada série/ano da educação infantil e ensino fundamental
 

Nossos Desafios

  • Conseguir recursos para imprimir o material didático
  • Obter recursos para manter o projeto e contratar funcionários com mais horas mensais de dedicação à iniciativa
 

O que já conseguimos

  • Conquistamos parcerias com a Secretaria de Educação de Miranda e a Secretaria de Assuntos indígenas, além do total apoio das lideranças indígenas (caciques) das comunidades onde atuamos
  • Formamos 80 professores
  • Impactamos diretamente 500 alunos da educação infantil e outras 800 crianças do Ensino Fundamental
  • Indiretamente beneficiamos 22 mil pessoas com o resgate e valorização da língua e da cultura Terena
CONHEÇA A INICIATIVA
 
Cíntia Nardo Marques Gonzáles é professora e durante seu mestrado e doutorado estudou as comunidades indígenas Terena. Durante as pesquisas, Cíntia e seus colegas pesquisadores observaram as dificuldades de professores indígenas em conciliar sua cultura àquele espaço escolar, e a vulnerabilidade da língua Terena, que é fundamental para a manutenção de outras manifestações culturais como mitos, rezas e cantos. Trabalhar para a manutenção e o uso da língua e cultura Terena para Cíntia significa preservar a identidade étnica de mais de 22 mil indivíduos, e ela acredita que a educação seja a melhor ferramenta para isso.
 
Deste modo, em 2012 a Consultora Natura fundou, juntamente com outros pesquisadores, a iniciativa Formação Continuada de Professores para o trabalho com a Língua, Arte e Cultura Terena, hoje rebatizado de Kalivôno.
 
O projeto propõe uma mudança de paradigmas, estimulando práticas curriculares específicas à realidade das comunidades indígenas, de forma interdisciplinar e intercultural e com o uso de material didático que valoriza e incentiva a língua e os conhecimentos tradicionais da região. Para isso, a iniciativa realiza a formação continuada de professores e já publicou um livro didático bilíngue (Terena-português), voltado ao ensino da Língua Terena e Arte e Cultura Terena nas salas de 1º ano do Ensino Fundamental de todas as escolas indígenas do município de Miranda.
 
A primeira fase do projeto foi um sucesso, envolvendo cerca de 800 alunos do Ensino Fundamental. Agora, a iniciativa quer fazer um trabalho semelhante voltado para a Educação Infantil, como forma de garantir o convívio das crianças com a língua e os conhecimentos tradicionais logo nos primeiros contatos delas com o mundo letrado.
 
Sem dúvida a maior dificuldade de Cíntia é a captação de recursos. Para viajar até as escolas indígenas o grupo tem custos grandes com o deslocamento. Além disso, a publicação do material é onerosa, muitas vezes ultrapassando a verba do projeto. Os funcionários da iniciativa também não possuem remuneração para trabalhar na ONG em período integral, então as oficinas só ocorrem esporadicamente e nos finais de semana. Com mais recursos, Cíntia e seus colegas poderiam investir na publicação de um segundo livro didático, desta vez voltado para a Educação Infantil, e em mais oficinas para capacitar professores.
 
Você gostou da ideia e quer ajudar? Esta é sua chance! Compartilhe essa iniciativa com seus amigos! Visite a página da iniciativa!
 

Conheça essa iniciativa